informação útil

o clima

Buenos Aires oferece um clima agradável durante a maior parte do ano. As temporadas de frio e de calor intensos costumam ser breves, ao passo que os dias temperados são mais frequentes no calendário. A temperatura média oscila em torno dos 18 graus.

Nesta parte do hemisfério, o verão começa no dia 21 de dezembro e se caracteriza por dias ensolarados e temperaturas que costumam superar os 30 graus. Embora seja possível ter períodos de três a cinco dias quentes, na verdade eles são aliviados por ventos e chuvas que devolvem a alma a uns 25 graus de felicidade. Os dias são compridos com entardeceres que acabam em torno das oito e meia da noite.

A 21 de junho celebra-se o início do inverno que, embora possa apresentar temperaturas menores a 10 graus, em geral, costuma ser moderado. O mês mais frio do ano é julho, com temperaturas máximas que não superam os 15 graus. No inverno, anoitece às 18.30h aproximadamente.

O outono e a primavera são as temporadas mais chuvosas do ano e, ao mesmo tempo, aquelas que oferecem dias ensolarados e diáfanos ideais para os passeios ao ar livre.

O VESTUÁRIO

De verão. Roupa fresca e leve durante o dia. À noite é conveniente levar sempre um agasalho leve porque a temperatura costuma descer entre cinco e sete graus.

De inverno. A chave para gostar da temporada portenha do frio é se vestir em camadas, tipo cebolas: camiseta, camisa, casaco e jaqueta que se organizam conforme a previsão do tempo diária. Um cachecol e umas luvas nunca sobram.

De meia-estação. Durante o outono e a primavera, é conveniente usar camisas e capas de chuva e, se possível, botas de chuva para não perder nem um dia de passeios.

A geografia

A trama urbana portenha se caracteriza por uma linha de divisão imaginária que os vizinhos identificam com a Avenida Rivadavia. Com um percurso que atravessa a cidade, essa avenida define o início e o fim da zona norte e da zona sul, duas áreas que apresentam estilos e arquiteturas com diferenças importantes. Para o norte, um horizonte de arranha-céus anuncia o setor mais desenvolvido da capital, com o porto como fator de sorte e a presença dos bairros com maior poder aquisitivo, como Belgrano, Recoleta e Palermo. O sul, poético e suburbano, oferece uma vista de casas baixas que termina à beira do Riachuelo com o bairro de Caballito como o mais característico da classe média portenha.

Embora muitas pessoas ainda falem nos cem bairros portenhos, por causa da letra de um famoso tango, na verdade, Buenos Aires é dividida em 48 comunas ou unidades territoriais.

As informações turísticas

A cidade conta com postos de informação turística detalhada, situados em lugares-chave para os visitantes. Neles, vocês poderão conseguir mapas, guias e folhetos para movimentar-se com liberdade pelas ruas portenhas.

Florida: Florida, 50. Aberto de segunda a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 18h.

Praça San Martín: Florida e Marcelo T. de Alvear. Aberto de segunda a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 18h.

Puerto Madero: Juana Manuela Gorriti (Pier 4) 200. Aberto de segunda a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 18h.

Recoleta: Av. Quintana, 596. Aberto de segunda a sexta, das 10h às 17h. Sábados, domingos e feriados das 9h às 18h.

Retiro: Rodoviária. Loja 83. Aberto de segunda a domingo, das 7.30h às 14.30h.

A saúde

O sistema de saúde pública da cidade é gratuito. Ele funciona durante as 24 horas e se encontra à disposição de qualquer turista que precisar dele. Para urgências, o serviço de ambulâncias para emergências (SAME) conta com uma linha telefônica de atendimento gratuito (107) disponível durante todo o dia.

Buenos Aires é uma cidade segura em questões sanitárias, portanto, não são necessários cuidados especiais nem vacinas para visitá-la.

Por disposição da lei, não é permitido fumar em lugares públicos fechados como bares, shoppings, cinemas, bancos, hospitais, transportes públicos e escritórios, entre outros.

O consumo de álcool é proibido para menores de 18 anos e para todas as pessoas que circulem pela via pública ou participem de algum espetáculo organizado em grandes estádios. Tanto nos supermercados quanto nos mercadinhos, sem importar a idade, as bebidas alcoólicas só são vendidas até as dez da noite.

Os feriados

Com celebrações e aniversários em quase todos os meses do ano, Buenos Aires oferece um calendário de festas para se levar em conta, tanto se você quiser participar de alguma delas, se encontrar divertido conhecer o centro portenho vazio, quanto para saber quando os museus e outros lugares de interesse permanecerão fechados.

O calendário:

  • Ano Novo: 1 de janeiro.
  • Segunda e terça de carnaval: data variável durante o mês de fevereiro.
  • Dia Nacional da Memória pela Verdade e a Justiça: 24 de março. Comemoram-se as vítimas falecidas durante o período da ditadura militar entre 1976 e 1983.
  • Sexta-feira Santa: data variável entre março e abril.
  • Dia do Veterano e dos Caídos na Guerra das Malvinas: 2 de abril. São lembrados os soldados que lutaram na guerra das Malvinas.
  • Dia do Trabalhador: 1 de maio.
  • Dia da Revolução de Maio: 25 de maio. A primeira festa pátria argentina. Festeja-se o evento acontecido a 25 de maio de 1810 que inicia o processo do surgimento do Estado.
  • Entrada na Imortalidade do General Dom Manuel Belgrano: 20 de junho. Comemora-se o dia da morte do criador da bandeira argentina, quem também foi um dos protagonistas da história da independência.
  • Dia da Independência: 9 de julho. Celebração da independência da Argentina proclamada a 9 de julho de 1816.
  • Entrada na Imortalidade do General Dom José de San Martín: 17 de agosto. Comemora-se o dia da morte do general José de San Martín, homem-chave para a independência, não só da Argentina, como também do Chile e do Peru.
  • Dia da Soberania Nacional: 20 de novembro. Comemoração da defesa na “Vuelta de Obligado”, em que os argentinos neutralizaram o ataque da armada anglo-francesa.
  • Dia da Imaculada Conceição: 8 de dezembro.
  • Natal: 25 de dezembro.

OS PESOS

A moeda de câmbio da Argentina é o peso, que se adquire em bancos ou casas de câmbio. Devido ao funcionamento da economia, hoje o dólar é um dos protagonistas do dia-a-dia dos argentinos. Com um valor mutável, a divisa internacional tem duas denominações: o dólar oficial com uma cotação definida pelo Banco Central da República Argentina, que se consegue nas casas de câmbio autorizadas e entidades bancárias. E o dólar informal ou blue, com um valor determinado pelo mercado paralelo ou ilegal.

A cotação real do dólar pode ser consultada no site do Banco de la Nación Argentina (www.bna.com.ar) e no site da AFIP (www.afip.gob.ar), entre outras fontes de informação.

As notas em circulação atuais são de 100, 50, 20, 10, 5 e 2 pesos, enquanto as moedas são de 2 e um peso e de 50, 25 e 10 centavos.

O turista pode solicitar o reintegro de 21% do IVA no caso das compras de produtos nacionais iguais ou maiores a 70 pesos. O site da AFIP oferece um guia detalhado a respeito disso: www.afip.gob.ar/turismo.

A segurança

Em Buenos Aires é preciso ficar atentos como em qualquer grande cidade do mundo. É conveniente olhar sempre para bolsas e malas, guardar celulares e câmaras de fotos quando não estejam sendo usados, evitar a exibição de grandes montantes de dinheiro, deixar os documentos na caixa-forte do hotel, não falar pelo telefone nem enviar mensagens, caminhando pela rua e tentar ter bem claro o valor de dólares e pesos para evitar ser enganado. À noite, é melhor caminhar por avenidas e espaços iluminados.

A cidade conta com uma Ouvidoria do Turista, à qual você pode se dirigir no caso de maus tratos ou situações incômodas. Você pode ligar para o número 4302-4816 ou escrever um e-mail para turista@defensoria.org.ar a fim de ser informado.

Se você sofrer um furto, roubo ou for vítima de um crime, a Delegacia do Turista atende denúncias durante as 24 horas e conta com pessoal formado em inglês, italiano, francês, português, ucraniano e japonês. O lugar se encontra na Avenida Corrientes, 436.

A Polícia Metropolitana é a responsável pela segurança portenha junto com os Policiais Federais. Os primeiros usam um uniforme preto com detalhes de quadros brancos e pretos e os segundos são identificados pelo seu uniforme azul.

A energia

A voltagem da eletricidade na Argentina é de 220, portanto, qualquer aparelho com outro valor deverá usar um transformador para evitar acidentes. As tomadas contam com três pinos planos.

A comunicação

As ligações entre telefones da cidade não precisam de prefixo, salvo no caso dos celulares em que deve ser anteposto o número 15 e, depois, os oito dígitos restantes. Se você ligar para o interior do país, deve marcar primeiro zero, depois o código de área correspondente e, finalmente, o número local. Para ligar para o exterior, o zero é duplo. O prefixo para ligar do exterior para a cidade de Buenos Aires é 5411, de um telefone fixo, e 54911, de um telefone celular.

Nos kioscos (bancas em que são vendidos doces e cigarros) e locutórios (lojas das quais podem ser feitas ligações telefônicas) você pode comprar cartões telefônicos pré-pagos para celulares. A cidade conta com mais de 250 pontos em que há sinal gratuito de WIFI. Para utilizá-lo só é preciso baixar uma aplicação ao telefone ou tablet: http://www.buenosaires.gob.ar/aplicacionesmoviles/ba-wifi.

Além do mais, a maioria dos bares e restaurantes oferecem conexão à Internet por meio de uma senha que você pode pedir para o garçom.

Os animais de estimação

Se você quiser viajar com seu animal de estimação (cães ou gatos), deverá vaciná-lo contra a raiva entre 30 e 12 meses antes do ingresso ao país. Você deverá apresentar o Certificado Veterinário da Argentina com uma data não anterior a dez dias prévios à viagem, que é obtido no organismo público encarregado da saúde animal de seu país de residência.

As gorjetas

As gorjetas não estão incluídas no custo total dos serviços adquiridos. Em regra, costuma-se deixar 10% do valor consumido em bares e restaurantes. Costuma-se, também, dar gorjeta aos taxistas, aos lanterninhas e às pessoas que abrem as portas dos táxis em aeroportos e rodoviárias. De qualquer maneira, nunca são obrigatórias e sempre é o cliente quem decide.

O que está acontecendo em #buenosaires