Buenos Aires de bicicleta: cinco passeios para conhecer a cidade

Buenos Aires tem em torno de mil quarteirões de ciclovias: cem quilômetros para respirar a cidade a partir da liberdade fornecida pelas duas rodas. Aqui compartilhamos com você os percursos mais bonitos.

LEIA MAIS

Buenos Aires de bicicleta: cinco passeios para conhecer a cidade

18 de Novembro

SHARE:

Buenos Aires tem em torno de mil quarteirões de ciclovias: cem quilômetros para respirar a cidade a partir da liberdade fornecida pelas duas rodas. Aqui compartilhamos com você os percursos mais bonitos.

Gorriti

Essa é a ciclovia mais legal da cidade. Serve como guia em movimento para percorrer o bairro de Palermo, que está na moda com suas lojas de desenho, suas casas de antiguidades, suas galerias de arte e suas centenas de barzinhos modernos e encantadores. Com certeza você dividirá o passeio com ciclistas, andando de bicicletas chiques e bem-arrumadas (algumas delas bem bacanas). Por essa ciclovia costumam circular designers, produtores, jornalistas, fotógrafos...

Buenos Aires

Pontos de interesse:

A Little Italy de Palermo (entre as Avenidas Dorrego e Juan B. Justo). Floricultura-bazar Paul French Gallery (Gorriti, 4865). A confeitaria Ninina Bakery (Gorriti, 4738).

Início e fim:

Ela vai da rua Dorrego até a avenida Coronel Díaz. A melhor zona é a que vai da rua Arévalo até Julián Álvarez.

Quando ir:

Esse roteiro fica bom durante o pôr do sol, porém, a essa hora enche de ciclistas. Se você preferir andar de bicicleta em paz sem se cruzar com ninguém, então será melhor ir de manhã.





Montevideo

Essa ciclovia é mais sofisticada de todas. É como estar pedalando em Paris. Poucos quarteirões separam a Av. Libertador da praça Vicente López, mas nem por isso as paisagens são menos impactantes. A ciclovia passa a 500 m do shopping Patio Bullrich e dela você poderá ver casarões, palacetes, embaixadas e lojas muito elegantes. A única coisa negativa deste passeio é que se trata de uma rua inclinada, portanto exige muita destreza ao dirigir. Se o percurso ficar curto, você poderá continuar pela ciclovia da rua Arenales, que é mais comprida e tão glamorosa quanto sua vizinha.

Pontos de interesse:

O hotel boutique Algodon Mansion (Rua Montevideo, 1647). A padaria L´Epi (Rua Montevideo, 1567). A loja de indumentária Boycapel Vintage (Rua Montevideo, 1784. A loja de decoração STU (Rua Montevideo, 1788).

Início e fim:

Da Av. Del Libertador até a Av. Las Heras. Ela atravessa a Praça Vicente López e reaparece no quarteirão posterior a Av. Santa Fé, onde continua até a rua Perón.

Quando ir:

De meio-dia, embora seja uma rua bastante tranquila que pode ser percorrida a qualquer hora do dia.


Costanera Norte

Trata-se de uma ciclovia para relaxar, pois convida a pedalar de forma serena e meditativa. Com o rio sempre diante dos olhos, ela atravessa as margens da cidade ao longo dos cinco quilômetros que ocupa o Aeroporto Jorge Newbery. Separada da área dos pedestres e dos carros, a ciclovia foi traçada pela calçada, a fim de evitar o trânsito intenso da avenida. Ela começa na rua Sarmiento e termina no Parque da Memória, em um percurso para ver aviões e admirar a beleza de um rio que parece um mar por causa de sua interminável extensão. Há bancos para descansar, refúgios, bebedouros e espaços para estacionar a bicicleta.

Buenos Aires

Pontos de interesse:

O Clube dos Pescadores, a pista do Aeroporto, a zona nova desenhada para praticar esportes extremos e os “carrinhos” (foodtrucks versão local) para comer choripán (sanduíches de salsichão), hambúrgueres e sanduíches de boca lombo (porco).

Início e fim:

Ela vai da Av. Costanera, à altura da rua Sarmiento, até a Avenida Guiraldes, à altura da rua Monroe no bairro de Belgrano.

Quando ir:

De segunda a sexta, de preferência durante o dia (à noite ela costuma ser muito solitária). Aos sábados e domingos a ciclovia costuma ser caótica, por isso é melhor evitá-la.





Irala – Lamadrid

Essa é a ciclovia do futebol e do tango. Boêmio, suburbano, tangueiro, com o espírito dos bairros da periferia portenha: é assim que é este passeio que atravessa o bairro de La Boca e que, depois, conecta com o centro da cidade. Seus dois quilômetros de extensão permitem respirar o ar do porto e encher-se de fanatismo pelo único clube de futebol possível do bairro: Boca Juniors, é claro. Você também poderá encontrar street art, porém não a moderna, mas a tradicional. Há muitos murais com cenas típicas portenhas e com grafites extravagantes dos fãs do Boca Juniors, além, claro, das casinhas pintadas de muitas cores.

Pontos de interesse:

O Caminito e seus arredores –onde a ciclovia inicia seu percurso sobre a rua Lamadrid. A parte de trás do estádio do Boca Juniors, a Bombonera, e o Parque Lezama.

Início e fim:

A ciclovia vai da Vuelta de Rocha –uma esquina histórica do bairro La Boca– até a Av. Martín García, à altura do Parque Lezama. Depois, ela continua pelas ruas Azopardo, Bouchard, Antártida Argentina e, no bairro de Retiro, conecta com a ciclovia de Libertador.

Quando ir:

De segunda a sexta –para evitar o caos turístico do final de semana– e sempre de dia. O melhor é começar de manhã pelo Parque Lezama e terminar no Caminito para passear e comer alguma coisa por lá.


Libertador – Figueroa Alcorta

A mais amável, verde e comprida. Ela começa no bairro de Retiro e termina na avenida General Paz, no limite entre a Cidade e a Província de Buenos Aires. Ela atravessa a parte mais linda e distinta da cidade. E também a mais verde: nela se encontram os Bosques de Palermo. Também é a melhor conexão para conhecer o bairro de Belgrano.

Buenos Aires

Pontos de interesse:

Os jacarandás que florescem na primavera ao longo de toda a avenida. A ponte que comunica a Av. Del Libertador com a Av. Figueroa Alcorta, à altura da Av. Pueyrredón. A Floralis Genérica, uma escultura com forma de flor que abre suas pétalas de dia e as fecha à noite. Os Bosques de Palermo. O Planetário. O Jardim Japonês. O Monumento aos Espanhóis no cruzamento com a Av. Sarmiento. E o estádio Monumental do clube de futebol River Plate.

Início e fim:

Ela é muito comprida e com muitas opções de percurso, com um labirinto que, porém, sempre tem saída. Ela começa no bairro de Retiro e na rua Ugarteche se bifurca: é possível continuar pela avenida ou entrar nos Bosques de Palermo. Se você escolher continuar pelos bosques, encontrará a Avenida Figueroa Alcorta, se, porém, continuar pela Av. Del Libertador, a ciclovia não acabará até as Barrancas de Belgrano.

Quando ir:

Ao entardecer (dependendo da época do ano: das 17h às 20h), quando a luz e as cores do céu convertem o passeio em um cartão postal imperdível. Também é um belo passeio para se fazer durante as primeiras horas da noite. O conselho é sempre o mesmo: melhor nos dias de semana, para evitar a multidão dos finais de semana.





BY CECILIA ACUÑA

SHARE:

TAMBÉM LHE SUGERIMOS QUE LEIA ESSES ARTIGOS:


O que está acontecendo em #buenosaires